O intercâmbio virtual é uma forma de se conectar com pessoas ao redor do mundo, adquirir conhecimentos e exercitar a empatia sem sair de casa. Quer saber como está sendo lidar com a pandemia no Japão? É só perguntar ao seu amigo de classe.

Nós vivemos em um mundo cada vez mais conectado, onde podemos resolver diversos problemas com um clique, pedir para a Siri agendar uma reunião e para a Alexa tocar uma música ou ligar a TV.

Se tudo acontece de forma tão veloz e precisamos estar cada vez mais capacitados, por que não aproveitar as oportunidades que a tecnologia nos dá?

Essa é a proposta de um intercâmbio virtual: contato com diferentes culturas, novos idiomas e conhecimentos diversos; uma experiência única e imersiva sem sair de casa e a um custo mais baixo.

Quer saber mais?

Conversamos com o Lucas, CEO da Muss Intercâmbio, para trazer as melhores informações sobre essa nova modalidade.

Durante o texto, você encontrará:

  • O que é um Intercâmbio Virtual?
  • Como funciona?
  • Quem pode participar?
  • Quanto custa?
  • Por que fazer?

O que é Intercâmbio Virtual?

O intercâmbio virtual é um programa que oferece aulas intensivas, interativas e interculturais em plataformas de transmissão online. Possui a mesma carga horária do intercâmbio presencial, permitindo uma experiência imersiva em outro idioma a um custo mais baixo e sem necessidade de deslocamento.

Como funciona?

Antes das aulas começarem, todos os alunos fazem uma prova de nivelamento. Dessa maneira, a turma consegue ficar alinhada e as aulas têm maior aproveitamento.

O programa é dividido da seguinte maneira:

  • entre 4 e 48 semanas de aula
  • 3 horas diárias* ao vivo com professor nativo
  • 1 hora e meia diária* offline para exercícios com suporte do professor

*de segunda a sexta-feira

Além disso, são oferecidas atividades de interação social para os alunos se conectarem, como aulas de yoga, happy hour, musculação, workshops e outros eventos.

Quem pode fazer?

A notícia boa é: tem opções para todas as faixas etárias e níveis de idioma!

Não tem um perfil de aluno, o importante é querer aprimorar o nível no idioma e ter uma experiência imersiva. Na Muss, por exemplo, a média de idade dos participantes é de 45 anos. Bem diferente do tradicional, né?

Funciona assim:

  • alunos entre 12 e 17 anos podem participar de turmas específicas para menores de idade;
  • alunos acima de 18 anos tem opções do nível básico ao avançado e, dependendo do nível de conhecimento, podem fazer cursos de inglês relacionados a negócios, preparatórios para IELTS ou Cambridge e até mesmo transferir os estudos para uma universidade estrangeira.

Quanto custa?

Diferente do intercâmbio presencial, os alunos não têm custos com visto, passaporte, seguro viagem, passagem, hospedagem, comida, etc.

Só é necessário ter acesso à plataforma de transmissão das aulas pelo celular, tablet ou computador.

Com isso, os custos com o intercâmbio virtual chegam ser 85% menores que com o presencial! O valor total, em reais, está na faixa de R$2.500,00 a R$5.000,00 por mês.

Por que fazer?

No cenário atual da pandemia do covid-19, o intercâmbio virtual é uma oportunidade para desenvolver habilidades de comunicação em outro idioma e ter contato com diferentes culturas.

É ideal para quem quer ter uma experiência imersiva com professores nativos. Seja pelo custo ser menor ou como preparação para ocasiões futuras de trabalho ou estudos.

Apesar de não permitir o deslocamento a um novo destino, a vivência cultural como nativos e os perrengues que todo intercambista passa; essa modalidade tem pontos positivos pela flexibilidade e pela possibilidade de networking com pessoas do mundo todo.

Além disso, a tecnologia facilita interações rápidas e o acesso a ferramentas que não estão disponíveis nas salas de aula convencionais. Com elas, rapidamente é possível participar de enquetes ou realizar trabalhos em grupos interagindo com aplicativos e sites.


Lohraynne Fernandes

Assessora de Marketing na LEVE Consultoria e Gestão de Projetos

0 comentários

Deixe uma resposta