Uma pesquisa de 2017 da Gallup revelou que ter funcionários engajados diminui a taxa de rotatividade em 59% (em empresas com taxas altas), diminui em 40% a taxa de incidentes de qualidade, aumenta a produtividade em 17%, as vendas em 20% e a lucratividade em 21%.

Conseguimos enxergar, assim, que colaboradores engajados e alinhados com o propósito da empresa, movem e agilizam processos atrás dos melhores resultados. 

A pluralidade de personalidades, vivências e habilidades dentro de um time é muito importante para a saúde de uma organização. Mas como manter todas essas pessoas tão diversas, engajadas?

Antes de tudo, é importante ter em mente que a estratégia começa no individual. Se você compartilhar conhecimento, mostrar interesse na vida pessoal e nas tarefas da sua equipe, esclarecer objetivos, iniciar conversas e reflexões, já é um bom caminho.

Para te ajudar, durante este artigo vamos apresentar os seguintes tópicos:

  • Por que engajar uma equipe?
  • Níveis de engajamento
  • Como engajar uma equipe?
  • Ferramentas para engajar equipes
  • Como mensurar o engajamento de equipes

Por que engajar uma equipe?

A Gallup, em 2017, lançou o relatório “State of American Workforce” sobre  a força de trabalho estadunidense, no qual foram apresentados dados sobre o impacto de equipes engajadas nos resultados.

De acordo com o estudo, funcionários engajados estão mais propensos a continuar na empresa, o que reduz a rotatividade e os custos associados a ela – gastos com recrutamento, anúncios, entrevistas, treinamentos e onboarding, por exemplo.

Além disso, a pesquisa mostrou que funcionários conectados com o propósito da organização constroem relacionamentos mais fortes com os clientes, aumentando o número de vendas em 20% e o lucro em 21%.

Níveis de engajamento

Para desenvolver a melhor estratégia, é importante identificar o nível de engajamento dos membros da sua equipe:

  • Pessoas engajadas: têm uma conexão profunda com a empresa, “vestem a camisa”, têm sentimento de dono e sentem orgulho do que fazem. São elas que geram inovação, mudanças e apoiam a organização em momentos de crise.
  • Pessoas desengajadas: apenas executam, fazem as tarefas que forem solicitadas, não dão sugestões ou ideias.
  • Pessoas ativamente desengajadas: estão insatisfeitas com a empresa e/ou a vida pessoal, fazem só o que for vantajoso para elas, sem se preocupar com os resultados da equipe ou com o ambiente de trabalho.

Como engajar uma equipe?

Engajar uma equipe é algo constante, demanda tempo e recursos. Por isso, o custos com endomarketing, ferramentas e serviços contratados para esse objetivo devem estar inclusos no planejamento anual.

Alguns passos para começar uma estratégia de engajamento são:

  • Definir a cultura organizacional
  • Criar um ambiente de trabalho saudável
  • Treinar líderes
  • Contratar pelos valores
  • Estimular talentos
  • Dar feedbacks constante
  • Prezar pela transparência

1. Defina a cultura organizacional

Toda organização tem uma cultura.

Observe os processos e comportamentos ao seu redor. Com certeza sua empresa tem um jeito único de agir, seja ele bom ou ruim.

A cultura está relacionada com os valores e crenças da empresa, é a forma como os membros se relacionam, lidam com conflitos e demonstram sentimentos.

“OK, mas eu não sei qual é a cultura da minha empresa. O que eu faço?”

Se a sua cultura organizacional ainda não estiver definida, pergunte aos funcionários, clientes, todos que tiverem contato frequente com a organização: “O que chama a atenção no nosso comportamento?”, “Quais são nossos pontos de melhoria?”, “Qual é a nossa característica única?”.

Assim, você conseguirá avaliar as qualidades e os pontos de melhoria da cultura. E, a partir disso, será possível reforçá-la no dia-a-dia com ações, momentos de descontração e atividades entre os times.

2. Crie um ambiente de trabalho saudável

As pessoas passam mais tempo no trabalho do que em casa. Por que, então, não tornar esse ambiente mais confortável e saudável?

Talvez você imagine aqueles escritórios enormes, com mesa de ping pong, vídeo game, puffs e um bar com cerveja. Tudo isso é realmente legal, mas não é garantia de sucesso no engajamento de times.

Comece do básico: os equipamentos necessários para a execução das tarefas de cada pessoa são bons? A internet é rápida e está sempre funcionando? Esses são dois exemplos de fatores que aumentam a produtividade.

Alguém do time está trabalhando muito, não se alimentou ou aparenta estar cansado? Converse, ofereça ajuda, leve um café com biscoito ou mostre um vídeo engraçado.

Pequenas atitudes como essas geram confiança, respeito e afeto, contribuindo para um melhor clima organizacional.

3. Treine os líderes

Quem assume a função de líder precisa estar empenhado em motivar e desenvolver o time.

Bons líderes geram conversas interessantes, sabem o que cada pessoa no time faz, quais são seus talentos e maiores desafios. Porque conhecer quem divide o mesmo espaço que você todos os dias é fundamental, só assim nascem relações verdadeiras.

Se funcionários não tiverem bons gestores, se eles não souberem o que é esperado deles ou se eles não estão desempenhando papéis que combinam com seus talentos, então maior é a lista de possíveis benefícios não vai ser a cura para tudo.

State of the American Workforce, 2017

4. Contrate pelos valores

O segredo do sucesso de um time engajado está na contratação. Uma frase famosa, atribuida a Peter Schutz, diz: “Contrate caráter, treine habilidades”.

Ao recrutar e entrevistar candidatos tenha em mente a missão, a visão e os valores da empresa. Durante o processo seletivo, analise se essa pessoa está alinhada com esses tópicos.

Lembre-se: é melhor contratar uma pessoa com menos habilidade técnica, porque é possível ensiná-la, mas com maior habilidade comportamental.

5. Estimule talentos

Foque nos talentos da pessoas, invista no que elas realmente sabem fazer e são boas. Isso vai mantê-las motivadas a querer sempre entregar mais e com qualidade.

Mostre que as opiniões delas são válidas e que o trabalho delas é importante, garanto que você irá se surpreender com os resultados e essa será a porta de entrada para inovações.

Abafar ou criticar negativamente opiniões diferentes podem causar desestímulo nas pessoas, afetando a criativadade delas e o desempenho profissional.

6. Dê feedbacks constantes

Aqui na LEVE, por exemplo, usamos um formulário 360º para todos os membros avaliarem uns aos outros. Nós acreditamos na importância de estarmos preparados para receber feedbacks e enxergá-los como oportunidade de crescimento pessoal e profissional.

No ambiente de trabalho é comum ter medo de conflito, não expor opiniões por medo de ser mal interpretado ou chatear outras pessoas. Mas enquanto você evitar a exposição e a vulnerabilidade, as relações serão superficiais e os resultados serão afetados.

É papel de toda a equipe, não só do líder, dar feedbacks e conversar com aqueles que mostrem falta de comprometimento. Responsabilizar as pessoas certas é importante, não é benéfico generalizar ou falar que o erro foi do time, se todos fizeram um ótimo trabalho, mas uma pessoa deixou de entregar e prejudicou a todos.

7. Seja transparente

Todos os funcionários precisam saber onde a empresa quer chegar. As expectativas tem que estar ajustadas, o colaborador deve saber quais competências são esperadas dele e em quais setores ele pode contribuir.

Qual é a missão dele naquele cargo, qual é o objetivo com aquele departamento dentro da empresa? Qual caminho a empresa quer traçar e como pretende fazê-lo?

Sabendo qual a trajetória ele tem que seguir e por que, é possível fazer cobranças quando ele não entregar algo, fizer uma entrega de baixa qualidade ou se comportar de forma inadequada.

Ferramentas para engajar equipes

Eu sei, engajar um time parece uma tarefa difícil, mas você pode usar algumas ferramentas para facilitar o processo. Por exemplo:

1. Asana

O Asana é um software usado para gerenciar projetos, administrar prioridades e executar tarefas remotamente. Com ele, é possível ver os responsáveis por cada tarefa, definir prazos e traçar a jornada para alcançar os resultados desejados.

A empresa oferece quatro planos mensais:

  • Basic (gratuito): para indivíduos e equipes que estão começando a fazer o gerenciamento de projeto
  • Premium (US$ 10,99/usuário): para equipes que precisam criar planos de projeto com confiabilidade
  • Business (US$ 24,99/usuário): para empresas e equipes que precisam gerenciar as diversas iniciativas
  • Enterprise (valor não informado): para organizações que precisem de segurança de segurança, controle e suporte adicionais

2. Notion

O Notion é um workspace tudo em um, sendo uma boa alternativa para substituir o uso de diversos softwares:

  • Permite a criação de uma “wikipedia” sobre a empresa, assim todos tem acesso às informações mais importantes.
  • Permite o gerenciamento de projetos e tarefas, sendo possível a personalização do espaço de trabalho
  • Mantém anotações e documentos organizados
Fonte Notion

Assim como o Asana, oferece quatro planos mensais:

  • Personal (gratuito): para organizar sua vida pessoal
  • Personal Pro (US$ 4,00): também de uso pessoal, mas para usuários que precisam de mais funções
  • Team (US$ 8,00/membro): para equipes
  • Enterprise (não informado): oferece controles e suporte para empresas

3. Miro

O Miro é como um quadro branco, totalmente personalizável, no qual times podem criar, organizar e compartilhar tarefas.

Fonte Miro

Como os anteriores, também possui quatro planos mensais:

  • Gratuito: plano para iniciantes na plataforma
  • Team (US$ 10,00/membro): para times pequenos
  • Business (US$16/membro): para times com mais de 20 membros, possui todas as funcionalidades
  • Enterprise (não informado): para empresas com mais de 50 funcionários

4. Podio

O Podio tem a proposta de ser um escritório online. Assim como o Notion, é uma plataforma tudo em um, com o objetivo de oferecer mais transparência e agilidade nos processos por meio da comunicação.

Fonte Podio

Os planos mensais são:

  • Grátis: para cinco funcionários
  • Básico (US$ 9,00): para equipes maiores iniciando na plataforma
  • Plus (US$ 14,00): com fluxos de trabalho automatizados
  • Premium (US$ 24,00): pacote completo de recursos avançados

Como mensurar os resultados?

Por fim, para mensurar os resultados existem métricas e técnicas, como:

  • Calcular a taxa de rotatividade da empresa
  • Pesquisas semanais ou quinzenais com os colaboradores
  • Avaliações de desempenho individual e coletivo
  • Pesquisas de satisfação com os clientes

A partir dos resultados, analise os pontos de adaptação para a elaboração de novas estratégias.

Referências usadas para a elaboração do texto:

Podcast EAG | Gallup Report


Lohraynne Fernandes

Assessora de Marketing na LEVE Consultoria e Gestão de Projetos

0 comentários

Deixe uma resposta